Custo de vida na Itália: os gastos para viver nas principais regiões do país

Custo de vida na Itália: os gastos para viver nas principais regiões do país

Ana Carolina Brunelli

6 meses atrás

Seguro Viagem

Sabia que é obrigatório ter um seguro viagem para ir pra Europa?

Além da segurança, educação e oportunidades de trabalho e lazer, o custo de vida na Itália também é algo que precisa ser levado em conta na hora de escolher uma cidade para morar no país.

Por isso, no artigo de hoje, você vai descobrir alguns valores em relação a aluguel, alimentação, contas de casa, transporte, lazer, etc. de algumas cidades italianas e poderá comparar o preço da capital, Roma, com cidades menores.

Isso certamente ajudará a calcular as possíveis despesas e ver o que se encaixa no seu orçamento.

Vamos lá?

Custo de vida na Itália: Roma

Roma tem um dos custos de vida na Itália mais caros para se viver. Foto: Caleb Miller / Unsplash

Para isso, nada melhor do que começar falando de Roma, a capital do país, onde estão concentrados famosíssimos destinos turísticos da Europa.

É claro que viver na cidade é completamente diferente do que apenas visitar por alguns dias, e por ser um lugar tão procurado, os preços não são dos mais baratos. Mas calma, porque tudo também vai depender do bairro que você vai escolher para morar e do estilo de vida que pretende levar.

Moradia em Roma

Indo direto ao ponto, apartamentos com apenas um ambiente (as famosas kitnets do Brasil), costumam custar, em média, 900€ no centro da cidade e 630€ fora do centro.

Já apartamentos com dois ou mais ambientes custam, em média, 1800€ no centro e 1200€ em bairros mais afastados. Lembrando que o preço sempre vai ser mais alto nas áreas centrais.

Já as contas básicas da casa, como eletricidade, aquecimento, arrefecimento, água e lixo, giram em torno de 190 euros.

Alimentação em Roma

Assim como em diferentes cidades da Europa, em Roma, os supermercados não são tão caros. Por exemplo, um casal com planejamento financeiro e preparando a maioria das refeições em casa, possivelmente, vai gastar, em média, 300€ no mês, ou até menos. E isso tudo sem passar vontade nas gôndolas.

Transporte em Roma

Os meios de transporte mais comuns em Roma são metrô e ônibus. Uma passagem de metrô, para uma viagem, por exemplo, custa 1,50€, mas também existem opções para quem quer fazer mais de uma viagem por 7€, sendo permitido realizar quantas viagens quiser em até 24 horas.

Outro ponto positivo é que os ônibus também estão inclusos no preço da passagem de metrô.

Leia também: Roma em 3 dias: guia de viagem pela capital da Itália

Lazer em Roma

Por ser uma cidade muito turística, boa parte das atrações de Roma são gratuitas. Exceto alguns pontos famosos como o Coliseu, que chegam a cobrar um valor simbólico pela entrada. Ainda assim, os valores cobrados por alguns lugares são relativamente baixos, considerando a importância para a capital.

Já em relação ao cinema, por exemplo, o ingresso custa, em média, 8€ e uma mensalidade em uma academia chega a custar 50€ para adultos.

Agora quando o assunto são os bares e restaurantes, você pode se preparar para gastar, em média, 50€ se gostar de beber alguns drinks e cervejas.

No entanto, com esse valor é possível comer em lugar de excelente qualidade, sendo que um prato custa a partir de 10€.

Custo de vida na Itália: cidades menores

Em Pescara, na Itália, custo de vida pode ser mais baixo. Foto: Mimmo Sigismondi / Unsplash

Saindo agora de um dos maiores centros urbanos de Roma, vamos para cidades menores, mas que não estão tão longes da capital e oferecem uma ótima qualidade de vida.

Pescara

Pescara é uma província que fica a cerca de duas horas e meia de Roma, próxima ao Mar Adriático e é considerada uma das cidades mais baratas da Itália. Apesar de ser bem menor que a capital, a cidade também oferece várias atrações turísticas, como a Ponte del Mare e a Ponte Flaiano.

Sem contar que quem escolhe morar em uma cidade como Pescara tem a chance de viver próximo ao mar e comprar frutos do mar a preços bem acessíveis.

Mas em relação ao custo de vida na Itália, em Pescara um valor médio de aluguel de um apartamento de um quarto no centro chega a custar 500€. Já as contas básicas da casa (eletricidade, aquecimento, arrefecimento, água e lixo) ficam, em média, 100€ e a alimentação costuma sair cerca de 200€ o casal. Além disso, uma refeição econômica em restaurante chega a custar entre 10€ e 15€.

Áquila

A província de Áquila fica exatamente em uma região de montanhas e é o lugar ideal para quem gosta de natureza, pois está rodeada de parques e lagos incríveis. A cidade é charmosa e pequena, com pouco mais de 70 mil habitantes, e isso se reflete no seu custo de vida.

O valor de um aluguel de um apartamento de um quarto no centro de Áquila custa, em média, 400€. As contas básicas da casa (eletricidade, aquecimento, arrefecimento, água e lixo), 100€ e os itens de supermercado chegam a custar, no máximo, 200 euros o casal por mês, ou até menos. Os valores das refeições em restaurantes bons e bem acessíveis também giram em torno de 10€.

Nápoles

Nápoles, no sul da Itália, tem custo de vida mais barato. Foto: Dan Novac / Unsplash

Outra cidade que se destaca entre as mais baratas da Itália é Nápoles, situada no sul do país, e que está próxima ao Monte Vesúvio, vulcão ativo que destruiu a cidade romana de Pompeia.

Considerada a terceira maior cidade da Itália, quem escolher viver por lá tem grandes chances de conseguir uma boa vaga de trabalho, principalmente em áreas de TI, turismo e assistência ao cliente. Além disso, quando o assunto é gastronomia, Nápoles é famosa pelas deliciosas pizzas.

Mas indo direto ao custo de vida na Itália, em Nápoles um aluguel de um quarto no centro chega a custar 600€.

As contas básicas da casa (eletricidade, aquecimento, arrefecimento, água e lixo), em torno de 160 euros e as compras em supermercados podem chegar a 250€ para duas pessoas.

Uma boa refeição em um restaurante considerado barato pode sair, em média, por 10€, sendo que uma pizza enorme sai por até 5€.

Leia também: Cidadania italiana: como iniciar o processo?

Custo de vida na Itália: saúde

Saúde é ponto-chave para o custo de vida na Itália. Foto: Spencer Davis on Unsplash

Outra questão que não pode deixar de ser ressaltada em relação ao custo de vida na Itália é a saúde. No país, a saúde não é 100% gratuita, ou seja, quem decidir morar lá precisa saber que vai pagar por consultas médicas, remédios e exames. Além disso, um plano de saúde particular custa, em média, 250€ por ano para uma pessoa maior de idade.

No entanto, brasileiros podem ter acesso ao sistema de saúde público da Itália pelo IB2, que é um tipo de Certificado de Direito à Assistência Médica (CDAM) e que permite que o cidadão use a assistência médica e hospitalar pública do país, da mesma forma que um cidadão local.

O IB2 apenas garante o mesmo atendimento no Sistema Sanitario Nazionale, nas mesmas condições que um cidadão italiano, mas isso não significa que o serviço é completamente gratuito.

* A média dos valores sobre custo de vida na Itália descritos são baseadas no Numbeo, referente a 2021.

Custo de vida na Itália: salário

Além do custo de vida na Itália, salário deve ser levado em consideração. Foto: Mauricio Arias / Unsplash

Depois de ver todas essas informações sobre o custo de vida na Itália, não poderia faltar uma das mais importantes: o salário! A média salarial varia de acordo com a região, ficando entre 900 e 1500 euros. No entanto, com esse valor é possível viver bem no país.

E considerando tudo o que o país oferece aos moradores e a qualidade de vida, pode-se dizer que o custo de vida na Itália não é dos mais altos. Agora, você só precisar avaliar qual das cidades italianas se encaixa mais no seu orçamento e no seu estilo de vida para começar a organizar a mudança!

Aliás, temos um artigo completo sobre como fazer intercâmbio na Itália. Confira aqui!

Veja também

Guia completo sobre acomodação na Irlanda

Ana Carolina Brunelli, Formada em jornalismo pela UNIMEP. Criadora de conteúdo para redes sociais, com experiência em Diversidade & Inclusão. Esteve na Irlanda duas vezes e, desde a primeira vez no país, soube que Dublin era o seu lugar no mundo. Ama inspirar e incentivar as pessoas a viverem a incrível experiência de conhecer a Ilha Esmeralda.

Este artigo foi útil?

Você tem alguma sugestão para a gente?

Obrigado pelo feedback! 👋

O que ver em seguida

Cadastre-se em
nossa newsletter

Seu email foi cadastrado.

Cadastrar outro email

Comentários

🍪

Este site usa cookies para personalizar a sua experiência. Ao utilizar o E-Dublin você concorda com a nossa política de privacidade.

Aceitar e fechar