Working Holiday na Nova Zelândia: como aplicar

Working Holiday na Nova Zelândia: como aplicar

Rubinho Vitti

11 meses atrás

Seguro Viagem

Sabia que é obrigatório ter um seguro viagem para ir pra Europa?

Fazer intercâmbio pode ser mais fácil quando o país de destino tem um acordo de férias e trabalho com o Brasil. Assim acontece com o Working Holiday na Nova Zelândia.

O intercambista brasileiro pode ficar um ano no país, estudando e trabalhando. Porém, as vagas são limitadas e existe um critério de avaliação para seleção do candidato, que acontece anualmente

Se interessou sobre o Working Holiday na Nova Zelândia? Então continue lendo.

Como funciona o Working Holiday na Nova Zelândia

A solicitação do visto para Nova Zelândia deve ser realizada no Brasil. © Brasilnut | Dreamstime.com

Brasileiros podem aplicar para o visto Working Holiday na Nova Zelândia, anualmente. Foto: Brasilnut | Dreamstime.com

A Nova Zelândia oferece, anualmente, cerca de 300 vagas para brasileiros interessados em estudar seis meses e trabalhar 12 meses no país durante um ano.

Os candidatos devem ter entre 18 e 30 anos e precisam passar por uma avaliação que vai pontuar e escolher aqueles que poderão ter o visto.

É necessária a comprovação de renda de 4,2 mil dólares neozelandeses (cerca de 12 mil reais) na conta para garantir a estadia.

O que mais você precisa saber:

  • Você só pode solicitar um Working Holiday Visa online
  • Você não pode aceitar um emprego permanente ou trabalhar para o mesmo empregador por mais de 3 meses
  • Você não pode levar crianças ou parentes com você.
  • Se você tem um parceiro que deseja vir para a Nova Zelândia, ele precisará solicitar seu próprio visto.
  • Depois de chegar na Nova Zelândia, você pode ir e vir da Nova Zelândia quantas vezes quiser antes que seu visto expire.
  • Você deve manter seu seguro médico enquanto estiver na Nova Zelândia.

As informações estão disponíveis no site do governo neozelandês.

A Nova Zelândia tem várias possibilidades de vistos para brasileiros.

O edublin mostrou os principais deles. O país também está na rota dos intercambistas do Brasil, junto à sua vizinha Austrália.

Rubinho Vitti, Jornalista de Piracicaba, SP, vive em Dublin desde outubro de 2017. Foi editor e repórter nas áreas de cultura e entretenimento. Também é músico, canceriano e apaixonado por arte e cultura pop.

Este artigo foi útil?

Você tem alguma sugestão para a gente?

Obrigado pelo feedback! 👋

O que ver em seguida

Cadastre-se em
nossa newsletter

Seu email foi cadastrado.

Cadastrar outro email

Comentários

🍪

Este site usa cookies para personalizar a sua experiência. Ao utilizar o E-Dublin você concorda com a nossa política de privacidade.

Aceitar e fechar