Como ir para Portugal trabalhar?

Como ir para Portugal trabalhar?

Colaborador E-Dublin

9 meses atrás

Seguro Viagem

Sabia que é obrigatório ter um seguro viagem para ir pra Europa?

Portugal é, sem dúvida, um dos destinos mais desejados pelos brasileiros, tanto para fazer turismo quanto para trabalhar e viver. Seja por sua ótima culinária, seja por seu tradicionalismo, sua bela arquitetura, qualidade de vida ou segurança, a verdade é que o país chama a atenção de muitos estrangeiros. Por isso mesmo, uma das perguntas que os brasileiros mais fazem é: como ir para Portugal trabalhar? Afinal, é um sonho possível de realizar?

Segundo o último relatório do SEF, Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, em 2019, a nossa nacionalidade se manteve como a principal comunidade estrangeira residente no país. Isso representa 25,6% do total (número mais elevado desde 2012). São mais de 150 mil brazucas que adquiriram o título de residência português.

No mesmo ano, o SEF registrou mais de 74 mil pedidos de aquisição de nacionalidade portuguesa, sendo 22 mil apenas de brasileiros. A população estrangeira residente aumentou pelo quarto ano consecutivo — valor mais elevado registrado pela instituição, desde o seu surgimento, em 1976.

Como mostram os números, é grande a quantidade de pessoas que se mudam para lá e buscam oportunidades de trabalho e educação para se manter no país.

Selecionamos algumas dicas para ajudar você nessa pesquisa.

Preciso de visto para trabalhar em Portugal?

Como trabalhar em Portugal: três vistos se referem ao trabalho no país. Foto: Vita Marija Murenaite/Unsplash

Conforme a lei em vigor, um cidadão brasileiro não precisa de visto para entrar em Portugal e permanecer por até 90 dias, independentemente de seus motivos de viagem: turismo, negócios, cobertura jornalística ou missão cultural. Mas é diferente quando você consegue um emprego e deseja permanecer por mais tempo ou se mudar para lá.

Existem diferentes tipos de visto para o país.

Três se referem especificamente a trabalho:

  • Visto D1: para atividade profissional subordinada: é preciso ter uma carta-convite da empresa. A vaga de trabalho deve ser divulgada publicamente e, se em 30 dias nenhum residente português for selecionado, o convite para o profissional estrangeiro pode ser feito. A declaração é obtida por meio do IEFP, o Instituto do Emprego e Formação Profissional;
  • Visto D2: trabalho independente: um dos requisitos para abrir uma empresa é apresentar o capital mínimo para a abertura do novo negócio. O valor é de 5 mil euros;
  • Visto D3: atividade profissional altamente qualificada. O Blue Card, como é conhecido, autoriza o titular e seu respectivo cônjuge a residirem em solo europeu. Trata-se de uma iniciativa da União Europeia para atrair para o continente profissionais estrangeiros que apresentem qualificações elevadas.

O país também oferece a opção de visto para startups e visto para investidores. Mas não é permitido trabalhar em Portugal com visto de turista. A prática pode levar a sérios riscos em sua estadia, por exemplo: a perda do direito de usar o sistema de saúde do país por meio do PB4 (seguro de saúde gratuito do governo brasileiro firmado com Cabo Verde e Portugal); a perda do acesso à educação pública ou, em casos mais graves, a deportação.

Trabalhar em Portugal com visto de turista também traz condições precárias de trabalho, jornadas exaustivas e salários injustos. Sim, é possível conseguir autorização de trabalho, após preencher uma vaga de emprego, mas essa é uma das formas mais caras e burocráticas de conseguir residência no país.

Nós aconselhamos que qualquer pessoa que tem o desejo de conseguir um trabalho em Portugal busque se informar ao máximo antes de se mudar. Se trabalhar for seu objetivo, o ideal é que você vá apenas com um contrato em mãos. Contudo, o mais importante é se munir de informações. Dessa forma, vai se resguardar de muitos riscos.

Saiba mais sobre os tipos de visto e os documentos solicitados em cada um.

Como conseguir trabalho em Portugal?

Até descobrir como trabalhar em Portugal na sua área de formação, muitos brasileiros começam atuar em setores como hospitalidade, bares ou restaurantes. Foto: Felix Kolthoff/Unsplash

Encontrar um emprego na sua área de formação é sempre um desafio, ainda mais longe do seu país de origem. Existem processos seletivos que demoram bastante, mas a principal dificuldade é realmente encontrar algo que corresponda a suas expectativas e currículo.

Conversamos com Naian Nicholas, brasileiro que mora e trabalha em Portugal desde 2018, e ele comentou sobre o assunto:

“As vagas corporativas são bastante concorridas pelos próprios portugueses, que também têm excelentes graduações e mestrados. Por isso, percebo que brasileiros têm dificuldades, mesmo que qualificados, de entrar nessas áreas, mas não é impossível”, disse.

Segundo ele, muitos brasileiros passam um tempo na área de hospitalidade, bares e restaurantes. Por isso, é importante o planejamento e uma reserva financeira, além de informação.

“A recomendação é que, se você deseja trabalhar na sua área, tenha em mente que isso vai levar tempo — de um ano a um ano e meio para conseguir se regularizar. Até lá, esteja disposto a trabalhar nas vagas disponíveis.”

Conseguir um trabalho em Portugal é realmente um desafio em áreas mais qualificadas, mas vale a pena se é o que você deseja alcançar. Tenha paciência e humildade para passar por esse processo. E tenha em mente que, provavelmente, você terá que começar de baixo e crescer aos poucos na empresa.

Quais são os trabalhos disponíveis em Portugal para brasileiros?

Como ir para Portugal trabalhar: área de tecnologia é uma das mais buscadas por brasileiros. Foto de capa: Markus Spiske/Unsplash

Até 2020, a taxa de desemprego vinha caindo constantemente em Portugal. No entanto, com a pandemia, os números voltaram a subir, chegando a 8,1% em agosto. Por isso, atualmente, encontrar um emprego adequado dependerá de muitos fatores. O ideal é que você se mude com um trabalho garantido.

“A área que vejo em alta aqui e no mundo todo é a área de Tecnologia da Informação — TI, porque, de fato, existe uma carência de profissionais. A maioria dos portugueses que são dessa área vão para outros países. Então, existe uma demanda grande. Muitos brasileiros vêm para cá para trabalhar em TI, e vêm com o visto de trabalho altamente qualificado.” — Naian Nicholas.

Outro ponto de destaque é verificar se você precisará realizar a validação do seu diploma em Portugal. Isso acontece principalmente quando se trata da área da saúde.

O Guia do Mercado Laboral 2020, uma pesquisa anual feita pela Hays, uma das maiores empresas de recrutamento do mundo, aponta as áreas mais promissoras do mercado português. Engenharia (82%), Office Support (81%), Contabilidade e Finanças (80%) e Tecnologias de Informação e Turismo e Lazer (79%).

Muitos brasileiros também têm atuado na área estética. Somos conhecidos pela qualidade dos serviços oferecidos nessa área. Por isso, há uma grande valorização para esses profissionais.

Leia mais: Profissões em alta em Portugal para estrangeiros

Iniciativas portuguesas para atrair estrangeiros

Desde 2018, Portugal oferece o Programa Tech Visa, “para empresas inseridas no mercado global, com sede ou estabelecimento estável no território nacional, que pretendam atrair para Portugal quadros técnicos qualificados e especializados, oriundos de países estrangeiros à União Europeia.”

No site do Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas e à Inovação (IAPMEI) — entidade responsável pela certificação das empresas candidatas —, você encontra uma lista das empresas credenciadas e pode se candidatar a uma oportunidade de trabalho no país. Uma das áreas de maior destaque do programa é a de Tecnologia da Informação — TI.

Algumas das empresas certificadas no programa Tech Visa em Portugal são:

Além da criação do Tech Visa, Portugal também reformulou a Lei de Estrangeiros, em 2017, diminuindo e simplificando processos burocráticos. O caminho de autorização de residência dos futuros estudantes em instituições de ensino portuguesas ficou mais rápido e eficaz. E quem deseja tirar o visto de trabalho para Portugal também se beneficia por não precisar ir pessoalmente ao consulado português do seu país.

Outro destaque é o próprio visto para startups (Startup Visa), criado em 2018, e que busca inserir e receber os incentivos do Programa de Startups de Portugal, além de, é claro, a permissão de residência. Nesse caso, também não há necessidade de fazer o pedido de visto pessoalmente, assim como todo o processo de entrevistas. Para entrar com o pedido, basta estar dentro das exigências do regulamento.

Qual é o salário de Portugal?

Em janeiro de 2018 o salário mínimo irlandês passou de 9,25 para 9,55 euros.© George Gabriel Paraschiv | Dreamstime.com

Salário mínimo pode ser o item principal para entender as vantagens e desvantagens de ir para Portugal trabalhar. Foto: George Gabriel Paraschiv | Dreamstime.com

Cada país da Europa determina seu salário mínimo de forma totalmente independente. Por isso, o valor de uma nação pode ser muito diferente da outra. Essa definição leva em conta questões como políticas internas, nivelamento do poder de compra, impostos e outros.

Em 2021, o salário mínimo de Portugal foi definido em € 665. O valor é pago 14 vezes ao ano, ao contrário do que acontece na maioria dos países, e é atualizado anualmente, desde 2015, abrangendo grande parte dos trabalhadores. Já o salário médio português é cerca do dobro do salário mínimo, mostrando que boa parte da população ainda recebe a remuneração mínima do país.

Tudo dependerá do cargo que você ocupa e de sua qualificação. O salário mínimo costuma envolver profissionais de áreas como serviços gerais, hospitalidade, lojas e limpeza. Já cargos corporativos e especializados apresentarão um valor mais elevado.

Mas lembre que, além de ter em mente esses dados, é muito importante saber quais os custos para morar em Portugal. Tudo vai depender da cidade onde você estiver e da localização da sua moradia.

Geralmente, locais afastados da região central são bem mais baratos e acessíveis, levando em conta que você ainda terá gastos com transporte, alimentação, seguro-saúde, contas fixas da casa, etc. Saiba mais sobre quanto custa morar em Portugal, clicando aqui.

No site Meusalário, é possível consultar os valores médios de diferentes profissões em Portugal.

Leia também: Quanto custa morar em Portugal?

Sites de emprego para trabalhar em Portugal

Sites de emprego podem ajudar a entender como ir para Portugal trabalhar e as vagas disponíveis. Foto: Nappy/olueletu

Para entender como trabalhar em Portugal, é preciso também se informar sobre sites de emprego e os tipos de vagas que eles estão oferecendo.

Se você deseja encontrar empregos na sua área, precisa começar a pesquisar o quanto antes. Os sites de emprego podem ajudar bastante. Aqui vão algumas indicações para começar a procurar:

Você também pode contar com os grupos no Facebook e LinkedIn para realizar essa busca e se manter atualizado quanto às vagas da sua área. Lembre-se de manter seu currículo atualizado, pedir referências sobre as empresas que encontrar, sempre pesquisar em mais de uma fonte de informação e pedir indicação de pessoas que moram no país.

Como é trabalhar em Portugal?

Naian Nicholas contou como é ir para Portugal trabalhar e a forma que encontrou para conseguir um visto. Foto: Acervo pessoal

Naian Nicholas é de Juiz de Fora (MG). Ele é formado em Administração de Empresas e tem habilitação em Marketing. Atualmente, trabalha em um banco francês, na área de “due diligence” — um processo aprofundado de estudo, análise e avaliação de informações e documentos de diversos setores de uma empresa.

“Vim parar em Portugal, porque morei na Irlanda por dois anos. Fui para lá fazer meu intercâmbio de inglês — muitas das informações que tive de lá, antes de ir, foram da E-Dublin.

Mas comprei cotas em uma empresa — uma barbearia e lounge bar — e, pelo fato de me tornar sócio da empresa, apliquei um pedido de título de residência por conta de ser empresário.

Por meio disso, consegui o título de residência, mas meu objetivo sempre foi entrar no mercado corporativo. Por isso, depois de um ano e oito meses, desfiz-me dessas cotas da empresa e comecei a aplicar para vagas de emprego no meio corporativo.

Depois de algumas entrevistas, consegui a oportunidade no banco em que trabalho hoje. Estou muito feliz, tenho aprendido muito, ganhado muita experiência. E e a língua oficial do banco é o inglês, então não perdi a oportunidade de continuar praticando o idioma.”

“Para mim, Portugal é uma benção, porque por meio desse país consigo ficar regularizado na Europa. Depois de 5 anos aqui, posso tentar adquirir a nacionalidade e um passaporte português, e tenho possibilidade de me locomover com mais facilidade nos países da União Europeia” — Naian Nicholas

“É um ponto que gosto muito daqui. Outra coisa que acho extremamente interessante é a segurança. Portugal é considerado o terceiro país mais seguro do mundo. Praticamente, não se veem notícias de assaltos, homicídios ou coisas do tipo. São casos muito raros e isolados.

Uma recomendação que dou para quem quer trabalhar em Portugal é que assista a muitos vídeos sobre o país, além de usar os blogs e sites.

Temos muitas informações gratuitas, mas muita gente tem preguiça de pesquisar e querem receber tudo de mão beijada, sendo que, na verdade, o interesse é delas. Elas não deveriam se basear em apenas uma fonte de informação.

Quanto mais opiniões diferentes a gente assiste, mais a gente consegue consolidar informações precisas. Então, a minha recomendação é que as pessoas pesquisem o máximo que puderem, porque esses blogs ajudam muito no processo de busca e mostram, de fato, a realidade do país como um todo”.

 

Foto de capa: Nick Karvounis/Unsplash

Alessandra Postali,

, jornalista, formada pela UNIMEP, é criadora de conteúdo e copywriter desde 2017 e ainda se aventura nas áreas de fotografia e vídeo, com a sua produtora A&M Filmes. Já passou por diferentes países como Itália, Espanha, Albânia e Angola, desenvolvendo projetos com organizações de transformação social. Ama viajar e capturar as nuances de diferentes culturas, usando a comunicação como ferramenta para contar suas histórias.

Este artigo foi útil?

Você tem alguma sugestão para a gente?

Obrigado pelo feedback! 👋

O que ver em seguida

Cadastre-se em
nossa newsletter

Seu email foi cadastrado.

Cadastrar outro email

Comentários

🍪

Este site usa cookies para personalizar a sua experiência. Ao utilizar o E-Dublin você concorda com a nossa política de privacidade.

Aceitar e fechar