Irlanda poderá ter pubs e baladas abertos até 6h da manhã

Irlanda poderá ter pubs e baladas abertos até 6h da manhã

Rubinho Vitti

1 semana atrás

Seguro Viagem

Sabia que é obrigatório ter um seguro viagem para ir pra Europa?

Até antes da pandemia da Covid-19, os pubs e night clubs da Irlanda poderiam funcionar até, no máximo, 3h30 da madrugada. Era quando as ruas ficavam lotadas de pessoas, que saíam desses estabelecimentos rumo a suas casas. Agora, durante a pandemia, o horário ficou ainda mais curto, com pubs fechando às 23h30 e as boates ainda fechadas.

Tudo, porém, pode mudar em 22 de outubro, quando todas as casas noturnas poderão reabrir e não haverá mais restrições de espaço em pubs e restaurantes. O plano do governo, no entanto, poderá ser ainda mais ambicioso, levando a vida noturna da Irlanda a outros patamares, parecidos com o que acontece em capitais europeias como Berlim ou até mesmo Nova York, nos EUA.

Tudo isso porque o General Scheme of a Sale of Alcohol Bill 2021 (esquema geral de venda de álcool), se aprovado, poderá levar o país à maior flexibilização de venda de álcool de sua história. E isso inclui a possibilidade de casas noturnas ficarem abertas até mais tarde, além da possibilidade de venda de álcool em instituições culturais como museus.

O objetivo do projeto de lei será revogar o Licenciamento e de Registro de Clubes e substituí-lo por outros mais atualizados. Além disso, a ideia é revogar o Public Dance Hall Act 1935 — sistema de imposto sobre ingressos para eventos culturais — para apoiar os setores de cultura, hospitalidade e discotecas.

Outra ação é o Night-time Economy Task Force Report, criado pela ministra da Cultura, Catherine Martin, que sugere um projeto piloto a fim de auxiliar a vida noturna da Irlanda.

Apesar de nada ainda estar certo em relação ao suposto novo horário de fechamento de bares e casas noturnas, há indicativos de que ele possa ser estendido até as 4h ou 6h da madrugada.

Catherine é uma das autoridades que defende que as casas noturnas fiquem abertas até 6h. “Por que não? Acho que essa oportunidade deveria estar aí. Acho que fechando (mais cedo) Dublin, estamos trabalhando muito atrás de nossas outras cidades europeias”, disse.

Foto de capa: Balázs Horváth / Unsplash

Rubinho Vitti, Jornalista de Piracicaba, SP, vive em Dublin desde outubro de 2017. Foi editor e repórter nas áreas de cultura e entretenimento. Também é músico, canceriano e apaixonado por arte e cultura pop.

Este artigo foi útil?

Você tem alguma sugestão para a gente?

Obrigado pelo feedback! 👋

O que ver em seguida

Cadastre-se em
nossa newsletter

Seu email foi cadastrado.

Cadastrar outro email

Comentários

🍪

Este site usa cookies para personalizar a sua experiência. Ao utilizar o E-Dublin você concorda com a nossa política de privacidade.

Aceitar e fechar