Vacina na Irlanda: 61,3% dos adultos tomaram pelo menos 1 dose

Vacina na Irlanda: 61,3% dos adultos tomaram pelo menos 1 dose

Rubinho Vitti

3 dias atrás

Seguro Viagem

Sabia que é obrigatório ter um seguro viagem para ir pra Europa?

A porcentagem de pessoas que receberam pelo menos uma dose da vacina na Irlanda é de 61,3%, enquanto 31,9% dos adultos no país já estão imunizados contra a Covid-19.

Mais de 352 milhões de doses já foram distribuídas em toda a União Europeia e 304 milhões já foram administradas nos países membros do bloco. Isso significa 54,4% dos adultos vacinados na UE e 30,5% já imunizados.

Os dados são do European Centre for Disease Prevention and Control (ECDPC). O portal está sendo usado pela imprensa irlandesa para contabilizar a distribuição da vacina na Irlanda, já que o hackeamento do sistema de saúde irlandês comprometeu a contagem no país (leia mais abaixo).

Registros para vacinação de pessoas com 35 a 39 anos estão abertos

Pessoas com 35 a 39 anos já começaram a se registrar para tomar vacina na Irlanda desde domingo, 20 de junho.

Quem tem 39 anos já começou o registro no dia dia 20, assim como quem tem 38 anos já pode se registrar a partir desta segunda-feira, 21. Na terça, 22, começa o registro para quem tem 37 anos. Na quarta, 36 anos, e quinta, 24, para quem tem 35 anos.

Essa faixa-etária receberá vacinas de mRNA, como o Pfizer ou Moderna.

Todos também podem se registrar após a data específica de início do registro. O link para o sistema de registro é este aqui. Os pacientes podem também se registrar por telefone (1850 24 1850) e há opções para pessoas com deficiência auditiva.

Aqueles que pretendem se registrar online são obrigados a fornecer seu número PPS, Eircode, endereço de e-mail e número de telefone celular.

Segundo o E-Dublin apurou com pessoas que se registraram e receberam a primeira dose da vacina, o tempo de espera entre o registro e a aplicação é de aproximadamente uma semana.

Farmácias começaram a aplicar doses de vacina na Irlanda contra a Covid-19

O governo já está começando a distribuir os kits de imunização a cerca de 1.300 unidades.

Pessoas com 50 anos ou mais que ainda não receberam nenhuma dose não precisam se cadastrar no site do HSE para se vacinar em farmácias, mas devem agendar sua ida diretamente com a unidade mais próxima para poder receber o imunizante.

O site do HSE possui uma lista das farmácias que estão autorizadas a aplicar as vacinas.

A maioria das farmácias na Irlanda vão aplicar a vacina de uma só dose, a Janssen, fabricada pela Johnson & Johnson. Outras, que ficam afastadas dos centros de vacinação, vão aplicar a vacina da Pfizer e farão a aplicação no esquema igual aos GPs, como parte do programa nacional de vacina na Irlanda.

Doses da AstraZeneca terão intervalos reduzidos

O intervalo longo de 12 semanas (três meses) entre a primeira e a segunda dose da vacina AstraZeneca será reduzido. Agora, pessoas de qualquer idade que tomarem a primeira dose do imunizante (também conhecido como Vaxzevria® ) poderão tomar a segunda em oito semanas (dois meses). Segundo o governo, isso poderá adiantar a vacina na Irlanda.

Aqueles com menos de 50 anos de idade que são imunocompetentes e que tiveram infecção por COVID-19 confirmada laboratorialmente nos nove meses anteriores à primeira dose da AstraZeneca não precisarão tomar a segunda dose da vacina. Eles vão ser considerados totalmente protegidos 15 dias após a primeira dose da vacina.

O anúncio foi feito pelo Ministro da Saúde, Stephen Donnelly, seguindo recomendações do National Imunization Asvisory Committee (NIAC), comitê nacional de imunização da Irlanda. “A redução do intervalo entre as doses desta vacina beneficiará mais de 400.000 pessoas que aguardam uma segunda dose e que agora serão imunizadas mais cedo”, disse o ministro.

Ele explicou que a mudança na administração dessa vacina na Irlanda será implementada gradualmente nos futuros receptores da AstraZeneca a partir da semana que vem, com reduções para 11, 10, 9 até chegar nas 8 semanas.

Ciberataque ao sistema de saúde irlandês pausa contagem de vacinados

O ciberataque de hackers contra o sistema de saúde irlandês — ocorrido há duas semanas — ainda afeta o HSE (Health Service Executive), órgão executivo da saúde do país.

Agendamentos para consultas em clínicas e serviços foram cancelados ou interrompidos devido ao desligamento do sistema após o ataque. A contagem do número de vacinados pela Covid-19, por exemplo, também está entre os dados que não podem ser computados no momento na Irlanda.

A última atualização oficial da situação da vacina na Irlanda foi publicada em 11 de maio, segundo a central de estatísticas da Covid no país.

Pfizer e AstraZeneca confirmam proteção contra variante indiana

A preocupação com uma nova variante encontrada pela primeira vez na Índia tem feito a população questionar a vacina na Irlanda. Afinal de contas, as doses administradas no país serão efetivas para o combate a estas novas cepas da Covid-19?

De acordo com reportagem do jornal Irish Times, a vacina contra o coronavírus da Pfizer e da AstraZeneca são eficazes contra a nova cepa após a segunda dose. Elas correspondem, respectivamente, a 88% e 60% eficazes, de acordo com um estudo da Public Health England (PHE).

No caso da primeira dose, a eficácia cai para 33%.

Passaporte ‘verde’ de vacina da UE pode ser lançado em breve

A União Europeia (UE) quer lançar um passaporte para quem já foi vacinado contra a Covid-19. A ideia é que o documento prove que o viajante foi vacinado ou está recuperado da Covid-19. Segundo a comissão da UE, ele poderá começar a ser usado em junho.

O Digital Green Certificate tem como proposta restaurar as viagens pela Europa. “Aqueles que não foram vacinados, nem se recuperaram do vírus, podem usar o documento para apresentar os resultados de teste da COVID-19. Ao incluir as três situações num único documento, a Comissão pretende evitar a discriminação de pessoas não vacinadas”, diz o site da UE.

Porém, mesmo que você tome a vacina na Irlanda, poderá ficar fora desse esquema, já que a regra vai valer para viagens livres no espaço Schengen. A Irlanda planeja retomar as viagens não-essenciais em julho conforme o novo plano de reabertura do país.

Leia mais sobre esse assunto aqui. 

OMS aprova Coronavac, mas União Europeia ainda avalia uso da vacina

A vacina chinesa Coronavac, que também é produzida no Brasil pelo Instituto Butantan, começou a ser avaliada pela The European Medicines Agency (EMA), a agência reguladora da Europa. O imunizante é principal utilizado no Brasil, com 80% das doses aplicadas sendo da Coronavac.

A ideia é que a vacina possa ser usada nos países europeus, mas, mesmo que não seja, ela poderá entrar na lista para possíveis permissões de futuras viagens a pessoas que estiverem imunizadas. Atualmente, o plano do “passaporte verde”, que pode ser aprovado em breve na UE, lista apenas vacinas já aprovadas pela agência como Pfizer, AstraZeneca, Moderna e Janssen, da Johnson & Johnson.

No entando, a OMS já aprovou a vacina para uso emergencial. Com a aprovação, pessoas vacinadas com a Coronavac poderão ter facilidades como viagens internacionais. Apesar de não ter sido ainda aprovada pela União Europeia,  o bloco recomenda que imunizados com vacinas aprovadas pela OMS possam entrar em países europeus sem necessidade de quarentena ou testes.

Imunizante de dose única da Johnson & Johnson é aprovado no país

Existe uma nova vacina na Irlanda disponível para aplicação imediata. O governo irlandês finalmente pode ver seu programa de vacinação acelerar com a aprovação da vacina Janssen, da farmacêutica Johnson & Johnson, pelo National Immunisation Advisory Committee (NIAC) — Comitê Consultivo de Imunização Nacional. 

A Janssen é o quarto tipo de vacina aprovado pela União Europeia. O contrato com a Johnson & Johnson prevê 200 milhões de doses aos países da UE, sendo 600 mil para a Irlanda.

Plano de vacina na Irlanda para priorizar grupos de mais jovens é cancelado. Foto: National Cancer Institute/Unsplash

Foram investidos 91 milhões de euros para a aplicação das vacinas por GPs (clínicos gerais). Tanto eles como farmacêuticos já estão administrando as doses que poderão imunizar cerca de 1,5 milhão de pessoas.

Centros também foram criados para atender toda a população com pelo menos um deles em cada condado. Você pode ver cada um deles nesta lista.

Nova lista de grupos prioritários da vacina na Irlanda

O governo irlandês mudou a lista de vacinação por nove grupos.

A nova lista foi divulgada em 30 de março. Todos os grupos listados abaixo já começaram a ser vacinados.

São eles, por ordem prioritária:

  1. pessoas com 65 anos ou mais que vivem em instituições de longa permanência foi o primeiro grupo a receber a vacina da Covid-19 porque correm um risco se contaminados pela doença. Eles recebem a vacina em casa.
  2. profissionais de saúde da linha de frente continuam sendo imunizados. Isso está acontecendo em hospitais e locais de serviços comunitários em todo o país e em clínicas especiais para GPs e sua equipe de prática. O agendamento para esse grupo, porém, está fechado no momento.
  3.  pessoas com 70 anos ou mais estão sendo vacinadas em grupos etários (85  e mais, 80 a 84 anos, 75 a 79 anos, 70 a 74 anos). Expectativa é que todos deste grupo sejam imunizados até maio. Para a vacinação deste grupo, o médico GP entra em contato quando a vacina estiver disponível. Não há necessidade de registro.
  4. Pessoas com idade entre 16 e 69 anos com uma condição médica que as coloca em risco muito alto de doença grave e morte
  5. Pessoas com idade entre 65 e 69 anos cuja condição subjacente as coloca em alto risco de doença grave e morte
  6. Outras pessoas com idades entre 65-69 e trabalhadores-chave essenciais para o programa de vacinas
  7. Pessoas com idade entre 16 e 64 anos com uma condição subjacente que as coloca em alto risco de doença grave e morte
  8. Residentes de instituições de cuidados de longa duração com idades entre 16-64
  9. Pessoas com 64 anos ou menos (por faixa etária) e pessoas com 16-64 anos que vivem ou trabalham em locais lotados (em paralelo)

Os grupos atualmente vacinados contra COVID-19 são grupos 1 a 7.

Leia também: Covid-19: enfermeira brasileira é imunizada na Irlanda

 

 

Foto de capa: Mat Napo / Unsplash

Veja também

Tudo sobre o sistema de saúde na Irlanda

Rubinho Vitti, Jornalista de Piracicaba, SP, vive em Dublin desde outubro de 2017. Foi editor e repórter nas áreas de cultura e entretenimento. Também é músico, canceriano e apaixonado por arte e cultura pop.

Este artigo foi útil?

Você tem alguma sugestão para a gente?

Obrigado pelo feedback! 👋

O que ver em seguida

Cadastre-se em
nossa newsletter

Seu email foi cadastrado.

Cadastrar outro email

Comentários

🍪

Este site usa cookies para personalizar a sua experiência. Ao utilizar o E-Dublin você concorda com a nossa política de privacidade.

Aceitar e fechar