Coronavírus na Irlanda: alta nas internações gera preocupação

Coronavírus na Irlanda: alta nas internações gera preocupação

Rubinho Vitti

2 meses atrás

Seguro Viagem

Sabia que é obrigatório ter um seguro viagem para ir pra Europa?

Apesar de não haver mais restrições por causa da pandemia do coronavírus na Irlanda, o ministro da saúde irlandês, Stephen Donnelly, afirmou que as pessoas devem continuar usando máscaras em locais fechados e cheios.

Isso porque o número de casos tem crescido no país, além das internações subirem para o maior nível do ano de 2022.

De acordo com relatório de terça-feira, 29 de março, haviam 1.624 pessoas internadas em hospitais da Irlanda tratando da doença. Os casos de internações em UTIs, que até semana passada permaneciam estáveis, tiveram alta, chegando a 54 internações de acordo com último boletim.

A previsão é de que os números superem as 2.000 internações em até dez dias. Isso levaria o país a superar janeiro de 2021, quando o país sofria com uma nova onda da doença e haviam muitas restrições no país.

De acordo com Donnelly, metade dos pacientes hoje internados em UTIs estão lá por causa da Covid-19. Ele também afirma que metade deles não recebeu a dose de reforço da vacina contra a doença.

Número de coronavírus na Irlanda dispara

Gráfico mostra número de internados com Covid-19 na Irlanda

Atualmente, o número de casos de coronavírus na Irlanda é baseado em testes PCR (feitos apenas por uma faixa etária e condições de saúde específicas — veja mais abaixo) e testes antígenos (feitos pela população em geral e enviados online para contabilização do governo irlandês).

Segundo Donnelly, a média diária dos dois resultados somados é cerca de 15 mil novos casos. Porém, ele diz que a realidade pode ser duas ou três vezes mais do que isso. Esse resultado, segundo ele, acontece pelo fato de que 95% dos casos são da variante BA.2 (variante da variante Ômicron), que é mais transmissível.

Apesar disso, ele reafirma que não há necessidade de novas regras serem introduzidas no país. No entanto, segundo reportagem da RTÉ, o Departamento de Emergência do HSE pede a reintrodução de medidas de saúde pública ao governo.

Todos esses números e os atuais podem ser encontrados nos gráficos publicados pelo governo irlandês.

Coronavírus na Irlanda: país está na segunda onda da Ômicron

Vice-primeiro-ministro irlandês, Leo Varadkar, afirma que não haverá novas restrições no país. Foto: Divulgação

A Europa e outras partes do mundo estão enfrentando uma segunda onda de infecções pela Ômicron, variante da Covid-19. Países como Índia, China e o Reino Unido estão vendo os números de casos e internações crescerem. A situação do coronavírus na Irlanda não é diferente.

Apesar disso, as autoridades estão descartando novas restrições. Leo Varadkar, vice-primeiro-ministro da Irlanda, afirmou que, “por causa das vacinas, embora o número de casos seja alto, o número de pessoas adoecendo, o número de pessoas hospitalizadas, precisando de tratamento em UTI, e felizmente o número de pessoas morrendo, é muito baixo”.

“Esta é outra onda, mas não prevemos que exigirá a reimposição de restrições”, ressaltou. Apesar disso, Varadkar ressaltou que o governo segue monitorando a situação.

O governo também está considerando iniciar a quarta dose da vacina contra o coronavírus na Irlanda para pessoas vulneráveis e profissionais de saúde.

Quais são as regras de isolamento em caso de suspeita de coronavírus na Irlanda

Foto: Unsplash

Conforme publicou o governo irlandês, houveram algumas mudanças de isolamento social no caso de infectados, contatos próximos e pessoas sintomáticas.

Pessoas confirmadas com Covid-19

  • 13 anos ou mais – uso de máscara e isolamento por sete dias
  • 0 a 12 anos – uso de máscara e isolamento por 10 dias

Pessoas com sintomas de Covid-19

  • Pessoas com 55 anos ou mais (sem dose extra da vacina), grávidas ou pessoas com risco de saúdeimunocomprometidos devem se auto isolar e fazer o teste PCR, seguindo as orientações conforme o resultado. O mesmo vale para aqueles que vivem com uma pessoa imunocomprometida ou presta assistência a ela.
  • Todos os outros não precisam fazer o teste, mesmo com sintomas, mas devem se isolar em até 48 horas depois do fim dos sintomas.

Contatos próximos

  • Pessoas com contato próximo a contaminados pela Covid-19 não precisam fazer testes se não tiverem sintomas. Se houver algum sintoma, deve se isolar e seguir a regra acima descrita.
  • Pessoas que trabalham na área de saúde e vivem com alguém que foi diagnosticado com Covid-19 deve fazer testes antígenos a não ser que esteja recuperado da doença nos últimos três meses.

Coronavírus na Irlanda: como reportar testes antígenos positivos online

Testes antígenos podem ser solicitados no site do HSE e quando positivados devem ser reportados em portal do serviço. Foto: Medakit Ltd on Unsplash

O HSE (Health Service Executive) — serviço de saúde pública irlandês – desenvolveu um portal exclusivo para que as pessoas reportem testes antígenos que tiveram resultado positivo para coronavírus na Irlanda.

O portal visa otimizar os dados de pessoas positivadas para o vírus sem a necessidade de fazer um teste PCR.

Para reportar o teste é preciso fornecer seus dados como nome completo, data de nascimento, número de telefone, PPS, data do teste, motivo pelo que fez, etc.

Além disso, será necessário enviar o número de telefone e data de nascimento (ou idade aproximada) de pessoas com quem esteve recentemente em contato próximo. Eles serão contactados e informados sobre os procedimentos para também realizar testes.

“Este serviço é anônimo. Não compartilharemos seu nome ou número de telefone com seus contatos próximos”, diz o site.

Acesse o portal aqui!

Como solicitar testes gratuitos do governo

Pessoas com certa idade ou condição de saúde específica podem solicitar teste PCR para detectar coronavírus na Irlanda. Foto: Mufid Majnun / Unsplash

O governo irlandês restringiu a testagem de PCR e a distribuição gratuita de testes antígenos.

Você não precisa de um teste (antígeno ou PCR) se você estiver nas seguintes condições:

  • menor de 55 anos de idade, saudável, com sintomas de Covid-19
  • 55 anos ou mais, saudável, com vacina em dia (dose de reforço) e com sintomas de Covid-19

Quem pode solicitar testes de antígeno

Se você é um profissional de saúde e é um contato próximo de alguém que contraiu a Covid-19, pode fazer testes de antígeno se:

  • não tem sintomas de COVID-19
  • não teve COVID-19 nos últimos 3 meses

Se você é um profissional de saúde e tem sintomas de Covid-19, deve fazer um teste de PCR.

Você também pode fazer testes de antígeno se tiver sintomas e precisar fazer uma solicitação de assistência social se estiver ausente do trabalho por causa do Covid-19.

Quem pode agendar um teste PCR

Você só pode agendar um teste de PCR se tiver sintomas de COVID-19.

Você pode fazer um teste de PCR se tiver sintomas e:

  • tem 55 anos de idade ou mais e não recebeu uma dose de reforço da vacina COVID-19
  • tem uma condição médica de alto risco
  • tem um sistema imunológico fraco (imunocomprometido)
  • vive na mesma casa que uma pessoa imunocomprometida
  • fornece apoio ou cuidados a uma pessoa imunocomprometida
  • grávidas
  • profissional de saúde

Saiba mais informações sobre testes do governo da Irlanda para coronavírus no site oficial do HSE.

Leia também: Vacina na Irlanda: tudo o que você precisa saber

Histórico do coronavírus na Irlanda

Primeiros casos do coronavírus na Irlanda foram registrados entre fevereiro e março. Foto: Free To Use Sounds/Unsplash

A notícia do primeiro caso de uma pessoa contaminada com a Covid-19 na Irlanda completou um ano. O caso foi notificado na manhã do dia 29 de fevereiro de 2020, no leste do país, um dia após a Irlanda do Norte confirmar uma infecção. Desde então, a ilha — assim como o resto do mundo — nunca mais foi a mesma e o restante dessa história ainda estamos vivendo.

O primeiro caso na Irlanda foi um homem que foi infectado após ter viajado para o norte da Itália, local muito afetado pela doença no início da pandemia, o que não foi uma surpresa para a Irlanda, que já estava preparada para atender o primeiro infectado.

Até aquele momento, haviam 83.000 casos da Covid-19 confirmados em mais de 50 países em todo o mundo, inclusive o Brasil, que também tinha apenas um caso confirmado até então. Hoje, um ano depois, são 114 milhões de casos e 2,5 milhões de mortes. Na Irlanda, em um ano, foram registradas 219.592 casos da doença e 4.319 mortes.

Após 29 de fevereiro, a doença foi se espalhando rapidamente e o país começou a tomar atitudes para contê-la, como o cancelamento do St. Patrick’s Festival.

Em 11 de março, a Irlanda estava com 43 casos confirmados e confirmava a primeira morte por Covid-19 no país. No mesmo dia, a OMS confirmou que o novo coronavírus se tornara uma pandemia.

No dia seguinte à morte, a Irlanda fechou as escolas e no dia 16 foram os pubs e casas de show e baladas que foram fechados.

Automaticamente, 140 mil pessoas ficaram sem emprego na Irlanda, mas o governo conseguiu, de forma rápida, criar um auxílio emergencial que abrangia, até mesmo, os estudantes que trabalhavam antes da pandemia.

Outras restrições começaram a aparecer na Irlanda até que o lockdown foi anunciado em 27 de março, quando pessoas deveriam ficar em casa, estando autorizadas a sair apenas para “um número limitado de razões”. Um ano depois, e o país está de volta ao nível mais restrito de lockdown.

Você pode acompanhar toda a linha do tempo da Covid-19 na Irlanda em nossa retrospectiva 2020 e retrospectiva 2021.

***

Foto: Fusion Medical Animation/Unsplash

Encontrou algum erro ou ainda tem alguma dúvida? Escreva para nós: [email protected]

Rubinho Vitti, Jornalista de Piracicaba, SP, vive em Dublin desde outubro de 2017. Foi editor e repórter nas áreas de cultura e entretenimento. Também é músico, canceriano e apaixonado por arte e cultura pop.

Este artigo foi útil?

Você tem alguma sugestão para a gente?

Obrigado pelo feedback! 👋

O que ver em seguida

Cadastre-se em
nossa newsletter

Seu email foi cadastrado.

Cadastrar outro email

Comentários

🍪

Este site usa cookies para personalizar a sua experiência. Ao utilizar o E-Dublin você concorda com a nossa política de privacidade.

Aceitar e fechar