Vacina na Irlanda: 90% dos adultos já receberam doses necessárias de imunização

Vacina na Irlanda: 90% dos adultos já receberam doses necessárias de imunização

Rubinho Vitti

15 horas atrás

Seguro Viagem

Sabia que é obrigatório ter um seguro viagem para ir pra Europa?

Como a vacina na Irlanda sendo aplicada em crianças a partir dos 12 anos, uma nova maneira de contar a porcentagem de vacinados mudou, levando em conta não só os adultos. Com mais de 7 milhões de vacinas já administradas no país, 71,7 % de toda a população já está imunizada e 75% recebeu pelo menos uma dose da vacina.

Quando apenas a população adulta é isolada, a porcentagem sobe para 90,3 % de imunizados e 92,4 % daqueles que receberam pelo menos uma dose da vacina na Irlanda.

A porcetagem da vacina na Irlanda é maior do que a média da União Europeia. O bloco conta com 676 milhões de doses aplicadas. Isso significa que 78 % dos adultos receberam pelo menos a primeira dose e 71 % estão imunizados.

Na contagem geral, levando em consideração os não-adultos, são 66 % e 60 %, respectivamente.

Idosos estão 100% imunizados na Irlanda

Se a contagem for feita por grupo de idades, teremos todos os idosos acima dos 70 anos já imunizados no país.

Veja abaixo:

  • 80 anos ou mais – 100%
  • 70-79 anos – 100%
  • 60-69 anos – 99%
  • 50-59 anos – 97%
  • 25-49 anos – 83%
  • 18-24 anos – 79%
  • menos de 18 anos – 13% (pelo menos 22% já receberam a primeira dose)

Vacinas mais utilizadas na Irlanda:

  • Pfizer: 5 milhões de doses administradas
  • AstraZeneca: 1,1 milhão de doses administradas
  • Moderna: 569 mil doses administradas
  • Janssen: 234 mil doses administradas

Os dados são do European Centre for Disease Prevention and Control (ECDPC), o Centro Europeu de Prevenção e Controle das Doenças, e do Ireland’s Covid-19 Data Hub.

 

View this post on Instagram

 

A post shared by Fine Gael (@finegael)

Vacina na Irlanda: HSE autoriza mix de vacinas para quem tomou 1ª dose da AstraZeneca

O programa de administração da vacina da Irlanda contra a Covid-19 deve deixar de utilizar a AstraZeneca e a Janssen — vacinas baseadas em vetores adenovirais –, focando apenas em vacinas mRNA — como é o caso da Moderna e Pfizer.

Por isso mesmo, o país está autorizando aqueles que tomaram a primeira dose da AstraZeneca a receberem a segunda dose da Moderna ou Pfizer. Ou seja, quem tomar uma dose da AstraZeneca e a segunda de uma vacina mRNA será considerado imunizado (“fully-vaccinated”).

Quem recebeu a dose da Janssen também já está imunizado contra a doença e não precisa de nenhuma outra dose.

Segundo o CEO do HSE (Health Service Executive, serviço de saúde pública da Irlanda), Paul Reid, essa é uma trajetória provável a nível de União Europeia. “O conselho diretor recomendou que cada país tome a decisão de suspender a entrega futura da Johnson & Johnson e da AstraZeneca”, disse.

Os suprimentos atuais de vacinas de mRNA deixarão a Irlanda em uma posição forte para vacinar os jovens e grupos vulneráveis, completando o ciclo de duas doses de vacinação.

Quem preferir tomar a segunda dose de uma vacina mRNA, pode ainda procurar centros de vacinação (sem necessidade de agendamento), além de farmácias, que também estão administrando vacinas mRNA.

Leia mais sobre aqui.

 

View this post on Instagram

 

A post shared by HSEIreland (@irishhealthservice)

Jovens de 12 a 15 anos começam a se vacinar na Irlanda

O portal de registro para tomar vacina na Irlanda, dentro do programa nacional de vacinação, já está aberto para receber as inscrições de jovens com 12 a 15 anos.

Pais e responsáveis são quem devem registrar esses jovens para receber a primeira dose em um dos centros de vacinação espalhados pelo país. Quem tem mais de 16 anos pode fazer o registro por si próprio. Há também centros de vacinação na Irlanda que estão recebendo pessoas sem registro, no sistema “walk-in”.

Já quem deseja receber uma dose única da Janssen deve se registrar nas farmácias cadastradas, que já estão fazendo a aplicação em pessoas de 18 a 34 anos e 50 anos ou mais. Essa vacina, produzida pela Johnson & Johnson, não está disponível nos centros de vacinação (leia mais abaixo).

As farmácias também estão aptas a aplicar a Pfizer em pessoas a partir de 12 anos.

Como funciona o registro para o programa nacional de vacinação?

Pessoas que não tem agendamento podem receber a primeira dose da vacina na Irlanda em centros de vacinação. Foto: Daniel Schludi / Unsplash

Aqueles que vão se cadastrar para receber a vacina a partir do programa nacional de vacinação devem se inscrever online. O link para o sistema de registro é este aqui. Os pacientes podem também se registrar por telefone (1850 24 1850) e há opções para pessoas com deficiência auditiva.

Brasileiros e demais imigrantes que são residentes na Irlanda podem se cadastrar e receber a vacina. No registro online é preciso fornecer o número PPS, Eircode, endereço de e-mail e número de telefone celular.

No entanto, segundo o HSE, aqueles que não tem PPS devem fazer o registro pelo telefone e podem apresentar um comprovante de moradia válido no momento da vacinação.

Segundo o HSE, o tempo de espera entre o registro e a aplicação é de até três semanas e será enviada uma mensagem no celular cadastrado com a data, o horário e o local da vacinação entre sete e três dias antes da aplicação da vacina na Irlanda.

Veja abaixo:

 

View this post on Instagram

 

A post shared by HSEIreland (@irishhealthservice)

Como se registrar em farmácias para tomar a vacina na Irlanda?

Farmácias de toda a Irlanda já começaram a aplicar a Janssen, vacina de dose única da Johnson & Johnson, em pessoas com 18 a 34 anos ou 50 anos ou mais que fizerem agendamento com uma das 800 lojas participantes da Irish Pharmacy Union.

Para reservar o horário de vacinação basta acessar este link, escolher a farmácia preferencial e agendar diretamente com a unidade por telefone ou site, dependendo do que o local oferecer.

As farmácias estão aptas a aplicar a vacina da Pfizer também em suas unidades.

Vacinação sem agendamento continua

A quantidade de pessoas que receberam pelo menos uma dose de vacina na Irlanda disparou após o país abrir os centros de vacinação para aqueles que não haviam agendado ainda um horário para tomar a primeira dose.

Milhares de pessoas formaram filas em todos os condados do país no chamado sistema “walk-in”, onde bastava apenas chegar e entrar para tomar a vacina.

Alguns centros de vacinação estão recebendo pessoas para tomar a vacina na Irlanda sem agendamento. Confira a lista com datas e horários no site do HSE.

Qual vacina tomar na Irlanda?

Governo irlandês estimula a vacinação e mostra quais vacinas são melhores para determinados grupos. Foto: Dimitri Houtteman/Unsplash

Segundo o HSE, quem decidir tomar a vacina AstraZeneca ou Janssen tem a oportunidade de estar imunizado mais cedo, incluindo a proteção contra a variante Delta.

“Existe um risco muito raro de desenvolver coágulos sanguíneos anormais com plaquetas baixas se receber qualquer uma destas vacinas. O risco é maior em pessoas com menos de 50 anos, mas ainda é muito raro”, explica o site.

O HSE recomenda a Pfizer ou Moderna para pessoas com menos de 50 anos. “Ainda é seguro receber a vacina AstraZeneca ou Janssen. Mas a formação de coágulos sanguíneos com baixo teor de plaquetas não é um efeito colateral conhecido da vacina Pfizer ou Moderna”, diz o site.

Você pode ler sobre os efeitos colaterais das vacinas nos links a seguir:

Tomei a vacina na Irlanda. Já estou imunizado?

Depende. A vacina Janssen é a única que precisa apenas de uma dose para imunizar uma pessoa contra a Covid-19. No caso da AstraZeneca, Moderna e Pfizer, é preciso duas doses para que a imunização aconteça.

Mesmo assim, após tomar uma vacina na Irlanda dose da vacina, ela será válida após o fim da janela de imunização de cada tipo de imunizante. Veja abaixo:

  • Pfizer (Comirnaty) – imunização após sete dias da aplicação da segunda dose
  • Moderna (CX-024414 ) – imunização após 14 dias da aplicação da segunda dose
  • AstraZeneca (Vaxzevria ou Covishield) – imunização após 15 dias da aplicação da segunda dose
  • Janssen (Johnson & Johnson) – imunização após 14 dias da dose única

Porque houve mudanças no programa de vacina na Irlanda?

As mudanças ocorrem após National Immunisation Advisory Committee (NIAC) recomendar o uso da vacina de vetor “adenoviral” (AstraZeneca e Janssen) para pessoas com menos de 50 anos de idade.

Segundo o comitê, “é preferível que aqueles com idade entre 18 e 49 anos recebam vacinas de mRNA” (Pfizer ou Moderna), mas como há “uma urgência para completar a vacinação do maior número possível de pessoas”, aqueles com idade entre 18-49 anos podem optar por uma vacina de vetor “adenoviral” para obter proteção mais precoce.

“Mecanismos de consentimento serão colocados em prática pelo HSE para garantir que qualquer pessoa com menos de 35 anos de idade que desejem ter acesso antecipado à vacinação por meio da administração de uma vacina AstraZeneca ou Janssen seja devidamente informada sobre os raros efeitos colaterais associados ao vetor adenoviral vacinas”, diz nota do departamento de saúde.

A urgência, no caso, é para tentar conter a variante Delta, que está cada vez mais presente no país. O governo também disse que não quer desperdiçar nenhuma dose da vacina na Irlanda.

Um outro motivo também seria a reabertura interna de pubs, restaurantes e outros estabelecimentos que devem exigir comprovação de vacina. Segundo planos do governo, a ideia é que esses locais usem o Digital Covid Certificate para clientes vacinados.

Doses da AstraZeneca tem intervalos reduzidos

O intervalo longo de 12 semanas (três meses) entre a primeira e a segunda dose da vacina AstraZeneca será reduzido. Agora, pessoas de qualquer idade que tomarem a primeira dose do imunizante (também conhecido como Vaxzevria® ) poderão tomar a segunda em oito semanas (dois meses). Segundo o governo, isso poderá adiantar a vacina na Irlanda.

Aqueles com menos de 50 anos de idade que são imunocompetentes e que tiveram infecção por COVID-19 confirmada laboratorialmente nos nove meses anteriores à primeira dose da AstraZeneca não precisarão tomar a segunda dose da vacina. Eles vão ser considerados totalmente protegidos 15 dias após a primeira dose da vacina.

O anúncio foi feito pelo Ministro da Saúde, Stephen Donnelly, seguindo recomendações do National Imunization Asvisory Committee (NIAC), comitê nacional de imunização da Irlanda. “A redução do intervalo entre as doses desta vacina beneficiará mais de 400.000 pessoas que aguardam uma segunda dose e que agora serão imunizadas mais cedo”, disse o ministro.

Ele explicou que a mudança na administração dessa vacina na Irlanda será implementada gradualmente nos futuros receptores da AstraZeneca a partir da semana que vem, com reduções para 11, 10, 9 até chegar nas 8 semanas.

Pfizer e AstraZeneca confirmam proteção contra variante indiana

A preocupação com uma nova variante encontrada pela primeira vez na Índia tem feito a população questionar a vacina na Irlanda. Afinal de contas, as doses administradas no país serão efetivas para o combate a estas novas cepas da Covid-19?

De acordo com reportagem do jornal Irish Times, a vacina contra o coronavírus da Pfizer e da AstraZeneca são eficazes contra a nova cepa após a segunda dose. Elas correspondem, respectivamente, a 88% e 60% eficazes, de acordo com um estudo da Public Health England (PHE).

No caso da primeira dose, a eficácia cai para 33%.

Passaporte ‘verde’ começa a ser distribuído na Irlanda

Você já ouviu falar no EU Digital Covid Certificate? A União Europeia (UE) lançou o Certificado Digital da Covid para reunir informações de cidadãos europeus sobre a situação atual em relação à Covid-19.

O bloco europeu começou a colocar a ideia em prática no dia 1 de julho, mas a Irlanda começou a distribuir os certificados aos cidadãos vacinados e recuperados da Covid-19 no dia 12 de julho.

A Irlanda planeja retomar as viagens não-essenciais em julho conforme o novo plano de reabertura do país.

Leia mais sobre esse assunto aqui. 

OMS aprova Coronavac, mas União Europeia ainda avalia uso da vacina

Coronavac, apesar de aprovada pela OMS, ainda não recebeu aval da UE. Foto: National Cancer Institute/Unsplash

A vacina chinesa Coronavac, que também é produzida no Brasil pelo Instituto Butantan, começou a ser avaliada pela The European Medicines Agency (EMA), a agência reguladora da Europa. O imunizante é principal utilizado no Brasil, com 80% das doses aplicadas sendo da Coronavac.

A ideia é que a vacina possa ser usada nos países europeus, mas, mesmo que não seja, ela poderá entrar na lista para possíveis permissões de futuras viagens a pessoas que estiverem imunizadas. Atualmente, o plano do “passaporte verde”, que pode ser aprovado em breve na UE, lista apenas vacinas já aprovadas pela agência como Pfizer, AstraZeneca, Moderna e Janssen, da Johnson & Johnson.

No entando, a OMS já aprovou a vacina para uso emergencial. Com a aprovação, pessoas vacinadas com a Coronavac poderão ter facilidades como viagens internacionais. Apesar de não ter sido ainda aprovada pela União Europeia,  o bloco recomenda que imunizados com vacinas aprovadas pela OMS possam entrar em países europeus sem necessidade de quarentena ou testes.

Leia também: Covid-19: enfermeira brasileira é imunizada na Irlanda

Veja também

Como cuidar da saúde durante uma viagem no exterior?

Rubinho Vitti, Jornalista de Piracicaba, SP, vive em Dublin desde outubro de 2017. Foi editor e repórter nas áreas de cultura e entretenimento. Também é músico, canceriano e apaixonado por arte e cultura pop.

Este artigo foi útil?

Você tem alguma sugestão para a gente?

Obrigado pelo feedback! 👋

O que ver em seguida

Cadastre-se em
nossa newsletter

Seu email foi cadastrado.

Cadastrar outro email

Comentários

🍪

Este site usa cookies para personalizar a sua experiência. Ao utilizar o E-Dublin você concorda com a nossa política de privacidade.

Aceitar e fechar