Trabalhar no exterior: por onde começar? 

Trabalhar no exterior: por onde começar? 

Ana Carolina Brunelli

4 semanas atrás

Seguro Viagem

Sabia que é obrigatório ter um seguro viagem para ir pra Europa?

Será que é mesmo possível trabalhar no exterior? E vale a pena? Mas, como começar? Essas são apenas algumas das inúmeras dúvidas que surgem em quem tem o sonho de morar fora, mas sabe que sem trabalho é quase impossível se manter em outro país.

Então vamos lá! No texto de hoje, você vai encontrar dicas básicas e os primeiros passos para se organizar e concretizar esse sonho com conforto, segurança e, de preferência, livre de perrengues.

E mesmo se algum obstáculo surgir no meio do caminho, tenha em mente que trabalhar no exterior é uma ótima oportunidade de melhorar o currículo, conhecer novas culturas e desenvolver habilidades que farão você crescer e evoluir tanto na vida profissional quanto pessoal.

Porém, vale lembrar que trabalhar no exterior é um pouco diferente de trabalhar no Brasil, viu? Mas não deixe isso se tornar um empecilho para você conquistar um bom espaço no mercado internacional.

Ouça: Dá para trabalhar remotamente no exterior? — E-Dublincast (Ep. 118)

Trabalhar no Brasil x trabalhar no exterior

Entenda quais são as principais dicas para quem quer trabalhar no exterior. Foto: Avi Richards / Unsplash

O choque cultural pode ser bem grande e a adaptação pode levar muito mais que alguns dias, pode levar meses. Porém, é importante chegar ao país que você escolheu para viver essa experiência de peito aberto e cheio de vontade de aprender novos hábitos e formas de trabalhar, já que, ao trabalhar no exterior, será necessário lidar com horários diferentes, regras diversas e um ambiente corporativo mais distinto ainda.

Nesse período de adaptação é fundamental observar muito e ver oportunidades nos mínimos detalhes, além de fazer uma rede de amigos e disparar currículos por diversos canais (antes e depois de desembarcar no local).

O que é necessário para trabalhar no exterior?

Trabalhar no exterior significa entrar profundamente na cultura local de outro país. Foto: Christina @ wocintechchat.com / Unsplash

Idioma local

Saber, pelo menos, o básico do idioma local do país onde deseja trabalhar no exterior é muito importante, pois, para conseguir uma boa oportunidade de trabalho, você precisará participar de entrevistas, além de se comunicar dentro da empresa, no caso de ser contratado.

E vale lembrar que, no processo seletivo, a maioria das empresas leva em consideração a boa comunicação verbal. Por isso, se você está no nível básico do idioma, o ideal é já começar a fazer aulas ainda no Brasil e manter a frequência de estudos mesmo quando chegar ao destino final.

Currículo estruturado

Descubra o que é um bom currículo para as empresas do país que você escolheu para trabalhar no exterior. Isso significa descobrir como eles avaliam a estruturação do currículo e quais os principais fatos da sua vida profissional as empresas mais analisam e levam em consideração.

Depois de saber como estruturar, é hora de montar o currículo! Somente quando ele estiver certinho você vai poder começar a se cadastrar em diversos sites de emprego. Faça isso muito antes de chegar ao país em que escolheu trabalhar, hein?

E mais: leve com você um monte de currículos impressos para distribuir em vários locais quando chegar ao destino.

Entrevistas de emprego

Quem busca trabalhar no exterior, uma hora ou outra, será chamado para participar de uma entrevista, seja online, seja virtual. Assim, é importante estar preparado para quando esse momento chegar.

Como se preparar? Treine bastante, peça apoio aos seus colegas ou, até mesmo, a um professor particular e responda possíveis perguntas no idioma local. E não esquece que, quando esse momento chegar, você deverá estar seguro para demonstrar autoconfiança.

Validação de diploma

Quem é formado no Brasil e decide embarcar para trabalhar no exterior realizando as mesmas atividades precisa se atentar à necessidade de validação do diploma. Buscar informações se no país onde você quer trabalhar exige essa validação e como deve ser o processo é fundamental e ajuda a não perder oportunidades por conta disso.

Lista de prioridades

Antes de enviar os currículos, que tal fazer uma lista das empresas onde você gostaria de trabalhar e entrar em diferentes sites para ver se tem alguma vaga aberta em alguma delas?

Procure no Google os sites de vagas de empregos no país onde você quer morar e, mesmo se não encontrar muitas oportunidades na primeira tentativa, não desista! Nessa busca por trabalho no exterior, a persistência é tudo.

Leia também: Como trabalhar na Irlanda: regras, vistos e profissões para brasileiros

Quatro vantagens de trabalhar no exterior

Existem vários motivos para deixar o Brasil e procurar trabalho no exterior. Foto: Studio Republic / Unsplash

1. Diferencial no mercado de trabalho

Trabalhar no exterior é um diferencial no currículo e, consequentemente, é o que também diferenciará você no mercado de trabalho.

2. Juntar dinheiro

Ainda que a experiência de trabalhar no exterior proporcione um enorme aprendizado pessoal e profissional, não dá para negar que é uma baita oportunidade juntar dinheiro, né? Ser funcionário fora do Brasil, independentemente da área de atuação, já é garantia de melhor remuneração. No exterior, é possível trabalhar, pagar as contas do mês e, ainda, dá para guardar uma grana, principalmente para quem é bem organizado financeiramente.

3. Novos conhecimentos

Além de todo conhecimento profissional e de desenvolver novas habilidades, trabalhar no exterior é uma chance de conhecer novos lugares, novas culturas, novas pessoas e de se conhecer ainda melhor.

4. Histórias para compartilhar

Quem não gosta de sentar em uma roda de amigos e ter boas histórias para contar? Então, trabalhar no exterior é se permitir viver experiências e colecionar muitas histórias (boas, ruins e engraçadas) para dividir com quem ama. É uma experiência única e que marca positivamente a vida de qualquer pessoa, mesmo com alguns imprevistos e perrengues no percurso.

Leia também: Morar em Dubai: vistos possíveis para estudar, viajar ou trabalhar no país

Pontos de atenção na hora de decidir trabalhar no exterior

Cada país apresenta regras específicas em relação à documentação. Por isso, informe-se sobre toda a parte burocrática exigida pelo destino para o qual você deseja se mudar. O ideal é sempre verificar os sites oficiais do Governo do país, pois lá tem todas as informações.

Agora, em relação aos documentos que podem ser solicitados pelo país e pelas empresas, são o visto de trabalho, validação de diplomas e certificados, contrato de trabalho e teste de proficiência para comprovar fluência no idioma local.

Visto de trabalho

Para trabalhar no exterior de maneira legalizada, será fundamental ter um visto de trabalho. Para solicitar esse tipo de visto, normalmente, uma empresa precisa contratar você e enviar alguma carta ou contrato. Nesses casos, existem alguns documentos específicos para dar a entrada no processo, que sempre são solicitados pelo consulado na hora de dar entrada no visto.

Teste de proficiência

Muitos países e empresas exigem o famoso (e temido) teste de proficiência, por ser uma forma de comprovar o grau de fluência no idioma local. Nesse tipo de teste, é avaliada a capacidade de se comunicar por fala, audição, leitura e escrita.

Contrato de trabalho

O contrato de trabalho é a principal prova para conseguir tirar o visto de trabalho. Ou seja, se você vai trabalhar no exterior sem vínculo com alguma empresa, verifique sobre outras possibilidades de comprovação de renda e de prestação de serviço.

Depois de ler todo esse conteúdo, você está preparado e ainda mais animado parar trabalhar no exterior?

Se a resposta for sim, siga o E-Dublin nas redes sociais e acompanhe novidades e informações que podem facilitar a sua busca por um trabalho fora do Brasil.

 

Foto de capa: Photo by Avi Richards / Unsplash

Ana Carolina Brunelli, Formada em jornalismo pela UNIMEP. Criadora de conteúdo para redes sociais, com experiência em Diversidade & Inclusão. Esteve na Irlanda duas vezes e, desde a primeira vez no país, soube que Dublin era o seu lugar no mundo. Ama inspirar e incentivar as pessoas a viverem a incrível experiência de conhecer a Ilha Esmeralda.

Este artigo foi útil?

Você tem alguma sugestão para a gente?

Obrigado pelo feedback! 👋

O que ver em seguida

Cadastre-se em
nossa newsletter

Seu email foi cadastrado.

Cadastrar outro email

Comentários

🍪

Este site usa cookies para personalizar a sua experiência. Ao utilizar o E-Dublin você concorda com a nossa política de privacidade.

Aceitar e fechar